Link
Share

Amor, maybe; Francine Cruz, Icone Editora, 2011, 304p.
ISBN:  8527411830

francine1O livro é dividido em 15 capítulos que se sucedem de modo quase monotônico. Não chega a ser monótono mas, à exceção dos 3 ou 4 últimos capítulos, quando ocorre uma reviravolta na narrativa, os demais se arrastam numa música de uma nota só. Talvez por ter escolhido um único personagem para focar toda a história, a autora ficou meio que encurralada no drama desta personagem e não sabia como sair dele. O livro tem uma bela capa (foto acima) e, com capítulos relativamente curtos que são separados por páginas de frontispício com uma bela arte.

Personagens:

Josephine Chamberlen (Josie) – personagem central da história. Moça de 23 anos que se apaixona perdidamente por Mathew, que faz aniversário na mesma data que ela e também é apaixonado por ela só que muito pobre, enquanto Josie é de uma família tradicional e de posses.

Mathew Carter (Matt) é um rapaz pobre mas muito inteligente e, por causa disso, estuda num dos melhores colégios de Los Angeles com uma bolsa de estudos. Apaixona-se por Josie desde o momento em que a encontra pela primeira vez numa festa de Halloween na casa de Liz.

Elizabeth (Liz) – é a prima de Josie e sua melhor e única amiga. Tem a mesma idade que ela e gostos muito parecidos.

Nicolas (Nick) e Jane Chamberlen – são os pais de Josie e lhe dão muito pouca atenção em virtude de trabalho, especialmente após ampliarem o escritório de advocacia para uma cidade maior, tendo escolhido Los Angeles para isto. Ambos são advogados.

Agatha Carter – é a mãe de Matt e adora Josephine. É dona de um restaurante no bairro de Chinatown em Los Angeles.

Christine – é a rival de Josephine que pretende ficar com Mattew apenas por capricho pois, não o ama.

Aline (Lica) – brasileira da mesma idade de Josie de quem fica amiga e confidente.

Amor, maybe inicia-se com Josephine acordando assustada de um sonho, com uma voz chamando-a para salvar alguém no dia 13 de maio de 2006. Nos dias .seguintes, até o seu aniversário que é em 16 de maio, acontece a mesma coisa. No dia de seu aniversário, ao retornar do trabalho, escuta uma música no carro, que a faz reviver muitas coisas que ela pensava estarem esquecidas. De repente, para seu carro e se vê em frente a um hospital, que reconhece como sendo o local de seus sonhos nebulosos anteriores.  Ao entrar, descobre que ali está internado Matt, seu grande amor, que já estava ali há anos, em coma. Descobre também que Agatha lhe ligara no dia do acidente e que sua mãe não lhe dissera nada.

Há então uma quebra do tempo e a narrativa retrocede para 30 de julho de 2000, quando Josie começa a ler para Matt, e assim prossegue no restante dos capítulos, até quase o final, revelando dessa forma, para o leitor, os acontecimentos que antecederam aquele momento quando se inicia o livro. Com esta técnica, a autora revela o encontro de Mattew e Josephine, como se apaixonam desde o primeiro momento, o namoro dos dois, a princípio às escondidas e depois abertamente, apesar da reprovação dos pais, especialmente de sua mãe, que queria um outro namorado para ela – Jerry – um rapaz rico e de família tradicional e que também era apaixonado por ela, o desentendimento entre ela e Mattew, com o fim do namoro, provocado por sua mãe, a viagem dela para o Brasil onde passou 4  anos fugindo de Matt, após iniciar um namoro com Jerry, o veneno de Christine, que lhe conta ter lido todas as suas cartas para Matt, sua nova amizade no Brasil com Aline, sua aproximação da igreja e de Deus e o desfecho da história, bem como o esclarecimento de muitos fatos, que aqui não posso revelar. O livro termina no ano de 2008, durando portanto, cerca de 8 anos, toda a trama.

Amor, maybe é um bom livro, embora com algumas falhas, como por exemplo, o tratamento usado pela autora para os nomes dos personagens Mattew e Josephine, com seus nomes próprios ou pelos seus apelidos, sem um critério lógico, inclusive, com a mesma pessoa tratando por Matt e Mattew, ou Josie e Josephine, indistintamente, o que, sabemos, não acontece com frequência.

francine1A autora, Francine Cruz, é não é uma iniciante. Já havia publicado “Atividade Física para Idosos: Apontamentos teóricos e propostas de atividades” (Editora Minelli, 2008) e depois deste livro já publicou outros dois: “Educação Física na terceira idade: teoria e prática” (Ícone Editora, 2013) e “A casa dos dois amores” (audiolivro, 2014). É professora de Educação Física, tendo se especializado em Atividade Física e Saúde e em Educação das Relações Etnico-raciais. Nasceu em Curitiba – PR em 18 de julho de 1984 e atualmente está cursando Letras Português/Inglês na Universidade Tecnológica Federal do Paraná. Recebeu o prêmio Agente jovem de cultura em 2012 pelo Ministério da Cultura. Criou um blog para o livro que pode ser acessado clicando-se no link. Você também pode ler o primeiro capítulo do livro neste link. No blog você poderá conhecer também outros trabalhos da autora.

A trama é muito bem elaborada e, a alternância de épocas torna a narrativa bastante interessante. A inserção de Deus no enredo não é uma coisa piegas nem sem propósito como em alguns livros acontece, inclusive, é nesta parte onde há as mais belas frases do livro como, por exemplo, as que o padre diz a Josie: “… no silêncio e na oração podemos ouvir melhor o que nos falam os corações. Quando falamos demais não conseguimos escutar, mas quando nos calamos, então tudo se revela.” Ou em “Deus é muito bom e nunca coloca um desejo em nosso coração se não tem intenção de realizá-lo.” É um livro bom, embora não seja algo extraordinário. Mereceu três estrelinhas.

The following two tabs change content below.
Alberto Valença nasceu em Olinda - PE. Sempre gostou muito de escrever, sendo a leitura um de seus divertimentos preferidos. Com quatro graduações concluídas, o autor enveredou por várias áreas do conhecimento. Em 1973 concluiu Licencitaura em Física pela UFPE, em 1980 concluiu Bacharelado em Psicologia e Formação de Psicólogo com especialização na área de Psicologia Escolar. em 1999 bacharelou-se em Direito e, no mesmo ano, foi aprovado na OAB-PE exercendo a profissão por dez anos. Publicou em 2014 um poema numa antologia e, agora, publica 15 poemas em outra antologia. Desde a infância gostava também de cinema e, em 2006, criou o blog Verdades de um Ser no qual divulga seus textos e comenta sobre literatura e cinema. Posteriormente, criou também o blog O seu companheiro de viagem, com o qual compartilha suas experiências de viagem oferecendo sempre dicas valiosas para quem quer viajar.
Share