Link
Share

Confissão, Paula Pimenta, Gutemberg, 2ª ed. revista e ampliada, MG,  [Poemas], 77p., 2013.

confissaoEste é o segundo livro de minhas metas de leitura para este ano que consigo ler, embora já tenha lido outros livros que não estavam nas metas e esteja lendo, simultaneamente, seis outros livros dela. Mas, por ser bem curtinho e de poesias, comecei este e terminei no dia seguinte.

Uma coisa se destaca nesta edição que realmente chama a atenção: a apresentação muito caprichada e bonita em papel couché fosco, de gramatura superior (150 g/m²) Verdadeiramente, um show! Dá gosto de você folhear. Esta é a primeira coisa que você notará ao abrir o livro. Ele é gostoso de ler! Com algumas diagramações diferenciadas, o leitor encontrará uma Paula menina, uma Paula moça e uma Paula adulta. E aquele cheirinho inconfundível de livro novo… O livro, segundo a própria autora, teve sua primeira edição financiada pelo pai em 2001. Consta de 64 textos, sendo a maioria poemas, escritos em várias fases da vida,  incluindo uma apresentação. Os textos englobam versos da autora desde sua fase de criança, até a fase adulta, inclusive versos usados por ela nas séries “Fazendo meu filme” e “Minha vida fora de série“.

WP_20150406_004

WP_20150406_002

WP_20150406_001

 

Ao lado exemplos de páginas com diagramação diferenciada que valorizam muito o livro que é um verdadeiro primor.

Paula consegue neste livro expressar o que sente e o que viveu e, dessa forma, alcança seus leitores e conquista outros.

Confissão é um livro para se degustar, como um vinho. Não apenas lê-lo. Isso não lhe satisfará por inteiro. Mas se você olhar seu visual, perceber as lágrimas densas e viscosas que denotam sua leveza e teor alcoólico, cheirá-lo, perceber seu floral frutado, com notas herbáceas de chocolate e pimenta roxa, sentir seus taninos firmes e acidez equilibrada ao degustá-lo, sabor frutado e corpo intenso. Tudo lhe fará entender o que a autora quis lhe dizer.

O mais interessante é que, ao lê-lo, parecia que não era um texto escrito por Paula Pimenta. Parecia ter sido escrito por Joselita Alves Lins, a mulher que amo e que já me disse tantas e tantas vezes, tudo aquilo que estava ali escrito no livro. Foi uma sensação estranha. Mas gostosa. Muito gostosa. Tal qual degustar um bom vinho.

É um livro pra você guardar com carinho. Mereceu quatro estrelinhas.

The following two tabs change content below.
Alberto Valença nasceu em Olinda - PE. Sempre gostou muito de escrever, sendo a leitura um de seus divertimentos preferidos. Com quatro graduações concluídas, o autor enveredou por várias áreas do conhecimento. Em 1973 concluiu Licencitaura em Física pela UFPE, em 1980 concluiu Bacharelado em Psicologia e Formação de Psicólogo com especialização na área de Psicologia Escolar. em 1999 bacharelou-se em Direito e, no mesmo ano, foi aprovado na OAB-PE exercendo a profissão por dez anos. Publicou em 2014 um poema numa antologia e, agora, publica 15 poemas em outra antologia. Desde a infância gostava também de cinema e, em 2006, criou o blog Verdades de um Ser no qual divulga seus textos e comenta sobre literatura e cinema. Posteriormente, criou também o blog O seu companheiro de viagem, com o qual compartilha suas experiências de viagem oferecendo sempre dicas valiosas para quem quer viajar.
Share

3 ideias sobre “Confissão [Livro]

  1. Joselita

    Uau!! Que lindo, Alberto! Senti respingar em mim, todos os elogios feitos ao livro… E agora você me fez lembrar de uma das muitas coisas que admirei em você quando estava te conhecendo, que é esse seu dom de escrever… Você escreve muito lindo!!

    Responder
  2. Denise

    Acho que vou adorar este livro, nao somente por ser de poesisas, e adoro poesias, mas pelo contexto todo que vc descreveu, entrar no livro, sentir como se os versos fizessem parte de vc e suas experiencias… gosto de me identificar com os livros, e sem identificacao nao ha interacao! Adorei seu post e recomendacao!
    DenisesPlanet.com

    Responder
  3. Bárbara Prado

    A Paula é uma das minhas escritoras nacionais preferidas.
    Não só em suas crônicas mas em todos os seus livros, ela consegue expressar de uma forma em que todas as pessoas de todas as idades poderiam sentir…
    Já li ‘Minha vida fora de série’ e falta o 3,4 do ‘Fazendo meu filme’ para ler… Confissão eu ainda não li, mas já está na minha wishlist há um bom tempo.
    Adorei sua resenha.
    Abraço
    Bárbara

    Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Desvende a charada para validar o comentário *