Link
Share

A resposta, Kathryn Stockett, 4ª ed., Tradução Caroline Chang, RJ, Bertrand Brasil, 2012, 574p.
Título original – The help.

Participe da promoção de aniversário do blog para ganhar uma surpresa. Não é sorteio. Leia as regras no final desta postagem.

arespostaO livro conta a história de uma moça norte-americana de 23 anos, conhecida como Skeeter, porém de nome Eugênia Phelan. A história se desenvolve na década de 60 na cidade de Jackson, no Mississipi, Estados Unidos.

Skeeter, após concluir o curso de jornalismo, volta para casa e encontra tudo mudado, inclusive com a ausência de Constantine, empregada que a criara desde pequena e com quem se correspondia enquanto estava na universidade. Ela sequer lhe avisara que iria embora. Skeeter se esforça para conseguir um emprego enviando seu curriculo para algumas editoras. Seu sonho é ser escritora. Aconselhada pela sra. Stein, editora senior da Harper & Row Editores, ela busca algo que goste ou que domine para submeter ao crivo da editora para uma possível publicação.

Ela consegue um emprego no Jackson Journal para escrever uma coluna sobre como cuidar de uma casa, com conselhos e dicas, mas isso, em nome de uma outra pessoa, inclusive conservando o mesmo estilo daquela que escrevia a coluna e teve que afastar-se. A coluna era conhecida como Coluna da Mirna mas, Skeeter não entendia nada de casa.  Como fazer? Ela procura então ajuda da empregada de sua amiga Elizabeth  Leefolt, mesmo com a desaprovação e resistência desta. Aibileen, a empregada negra da amiga, é uma mulher já de uma certa idade, que já havia cuidado de 17 bebês brancos ao longo de sua vida e, atualmente, cuidava de Mae Mobley, filha caçula de Elizabeth.

Surge então a idéia de escrever um livro sobre a relação entre as empregadas negras e suas patroas brancas mas, para isto, ela precisaria de entrevistar pelo menos umas 20 empregadas negras e, não conhecia nenhuma exceto Aibileen. Expõe a ela sua idéia e pede sua ajuda. Aibileen convida Minny, sua amiga com uma característica bem indesejável para os patrões brancos – Minny tinha o “pavio muito curto”.  Não levava desaforo pra casa e isso, além de irritar os patrões, os afrontava o que lhe custou muitos empregos e, apesar de ser a melhor cozinheira da cidade, tinha dificuldade para encontrar um. Após trabalhar na casa de Hilly Hollbrook, a mulher mais influente da cidade e presidente da Liga de Senhoras de Jackson, de onde foi despedida após ser acusada falsamente por roubar ninguém mais queria empregá-la. Até que Célia Foote, uma mulher totalmente deslocada e rejeitada, resolve empregá-la por desconhecer sua fama, uma vez que não tinha contato com ninguém na cidade.

As empregadas ficam receosas de serem entrevistadas por uma branca pois os casos de violência contra negros em Jackson se proliferavam e, se alguém descobrisse que elas haviam falado contra os patrões iriam matá-las. Entretanto, os acontecimentos levam a uma maciça adesão das empregadas ao projeto de Skeeter, ajudada por Aibileen que tambem sabia escrever muito bem pois frequentara os anos iniciais de uma universidade.  Ela consegue então escrever o livro e o publica causando grande revolução na cidade. A proteção das empregadas está em um pequeno detalhe, de grande relevância e que não posso aqui revelar.

O livro é escrito com capítulos alternados pela mão de Aibileen, Minny e Skeeter, ou seja, na visão desses personagens. Comecei a lê-lo em fevereiro e, só na semana passada, finalmente o concluí. Não que ele seja ruim de ler. Muito ao contrário. A leitura é agradabilíssima. É que, como o livro é muito grosso (são 574 páginas) e muito pesado, não podia carregá-lo para todo canto só podendo lê-lo quando estava em casa e, como paro muito pouco em casa, sobrava pouco tempo para lê-lo. Sem contar que nunca leio um livro só de cada vez. Estava lendo junto com ele mais cinco outros. Então, fácil concluir o que acontecia. Mas eu adorei o livro e é uma das minhas melhores leituras deste ano, estando, seguramente, na minha lista dos melhores do ano, que farei em janeiro de 2016, para 2015.

É o livro de estréia de Kathryn Stockett que, segundo ela própria, reproduz no livro sua história embora não diga isso de forma expressa. Menciona, no entanto, que Demetrie, empregada de sua família que colhia algodão no Mississipi. Ela veio trabalhar para sua família quando o pai de Kathryn tinha 14 anos e, foi quem criou Kathryn.

Kathryn nasceu e cresceu em Jackson, graduou-se na Universidade do Alabama em Língua inglesa e Redação criativa, tendo logo em seguida se mudado para Nova Iorque, onde trabalhou durante 9 anos na edição e marketing de revistas. Atualmente vive em Atlanta com o marido e a filha.

O livro mereceu 5 estrelinhas e eu o recomendo enfaticamente. Quem dispuser de um e-Reader, pode obtê-lo gratuitamente no site Le Livros. Infelizmente só vim descobrir isso quando estava terminando a leitura do livro, o que ajudou pelo menos, a acelerar sua leitura. Você pode baixá-lo tanto em PDF como em MOBI (para Kindle) ou em ePUB. Pode ainda lê-lo on-line. Bom divertimento.5-estrelas

 

 

Continua a promoção de aniversário do blog durante todo esse mês de setembro. Participe e ganhe uma surpresa. Não é sorteio. Basta participar para ganhar.
E não precisa ficar limitado(a) às postagens deste mês apenas. Pode comentar em qualquer postagem do blog para participar.

Leia as regras de participação no link a seguir. Caso já as tenha lido na postagem do dia 1º de setembro, acesse diretamente o link do formulário a ser preenchido após o seu comentário, nesta ou em qualquer outra postagem, no menu do lado da página principal, logo abaixo da logomarca do blog que, por sinal, está de cara nova este mês em comemoração ao aniversário do blog. Se leu as regras na postagem anterior ao dia 1º de setembro, leia novamente pois as regras mudaram.
Participe! Não é sorteio. Todos ganham se participarem.

REGRAS PARA PARTICIPAÇÃO DA PROMOÇÃO DE ANIVERSÁRIO

The following two tabs change content below.
Alberto Valença nasceu em Olinda - PE. Sempre gostou muito de escrever, sendo a leitura um de seus divertimentos preferidos. Com quatro graduações concluídas, o autor enveredou por várias áreas do conhecimento. Em 1973 concluiu Licencitaura em Física pela UFPE, em 1980 concluiu Bacharelado em Psicologia e Formação de Psicólogo com especialização na área de Psicologia Escolar. em 1999 bacharelou-se em Direito e, no mesmo ano, foi aprovado na OAB-PE exercendo a profissão por dez anos. Publicou em 2014 um poema numa antologia e, agora, publica 15 poemas em outra antologia. Desde a infância gostava também de cinema e, em 2006, criou o blog Verdades de um Ser no qual divulga seus textos e comenta sobre literatura e cinema. Posteriormente, criou também o blog O seu companheiro de viagem, com o qual compartilha suas experiências de viagem oferecendo sempre dicas valiosas para quem quer viajar.
Share

3 ideias sobre “A resposta [Livro]

  1. rudynalva

    Falar sobre a relação das empregadas negras com suas patroas brancas é um livro polêmico, principalmente porque as empregadas devem mesmo ter ficado amedrontadas.
    Deve ser um livro fabuloso!
    “Quanto mais nos elevamos, menores parecemos aos olhos daqueles que não sabem voar.”(Friedrich Nietzsche)
    cheirinhos
    Rudy
    http://rudynalva-alegriadevivereamaroquebom.blogspot.com.br/
    Participem do nosso Top Comentarista, serão 3 ganhadores!

    Responder
  2. Joselita

    Eita! Se você diz que o livro é bom e que merece 5 estrelinhas, é porque deve ser muito bom mesmo!! Isso faz com que alguns dos seus leitores, que ainda não conhecem o livro, sintam interesse em lê-lo. Acho até que você deveria ganhar comissão no lucro das vendas, por isso! Rsrsr. É sério!!
    Estou num leito de hospital, mas, não deixo de ler tuas postagens. Tchau.

    Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Desvende a charada para validar o comentário *