Carinho, é de graça [Texto autoral]

Share

Faz tanto tempo que aqui não chego
Que até penso que o blog sempre me mete medo
Mas pra não passar despercebido,
Deixo aqui estes versos para o aconchego

De  quem aqui chegar logo cedo.
E não vou fazer nenhum segredo
Quando os compus, nada tinha bebido
Só alegria, sorrisos e muito folguedo.

CARINHO

 

CARINHO É DE GRAÇA

Versos de Alberto Valença Lima

Carinho não se agradece, é de graça!
Não paga aluguel, venha pra praça.
Estou aqui, não faço ameaça.
Quero cantar, fazer arruaça.
Um beijo na testa, não embaraça.

Obs. – Estes versos estão registrados no setor de Direitos Autorais da Biblioteca Nacional. Sua reprodução, total ou parcial, sem autorização do autor é proibida, e a violação desta limitação constitui-se em crime previsto no Código Penal no art. 184, e na Lei 9.610/98 e é passível de punição.

The following two tabs change content below.
Alberto Valença nasceu em Olinda - PE. Sempre gostou muito de escrever, sendo a leitura um de seus divertimentos preferidos. Com quatro graduações concluídas, o autor enveredou por várias áreas do conhecimento. Em 1973 concluiu Licencitaura em Física pela UFPE, em 1980 concluiu Bacharelado em Psicologia e Formação de Psicólogo com especialização na área de Psicologia Escolar. em 1999 bacharelou-se em Direito e, no mesmo ano, foi aprovado na OAB-PE exercendo a profissão por dez anos. Publicou em 2014 um poema numa antologia e, agora, publica 15 poemas em outra antologia. Desde a infância gostava também de cinema e, em 2006, criou o blog Verdades de um Ser no qual divulga seus textos e comenta sobre literatura e cinema. Posteriormente, criou também o blog O seu companheiro de viagem, com o qual compartilha suas experiências de viagem oferecendo sempre dicas valiosas para quem quer viajar.
Share