O jardim dos Finzi-Contini – Giorgio Bassani [Livro]

Share

Giorgio Bassani

Escritor italiano que entre outros três livros escreveu este aclamado romance ambientado na província de Ferrara na Itália. Conta a história de uma família judaica que vivia na Itália. Assim como nas suas outras três obras, ele se ocupa em fazer uma análise da comunidade judaica na Itália antes da primeira Grande Guerra analisando a burguesia judaica com profundidade.

O jardim dos Finzi-Contini

Este livro de Giorgio Bassani, segundo a crítica especializada é uma das obras primas da literatura italiana. Não vi muito de extraordinário. É um livro fácil de ler pois, só tem 222 páginas que se dividem em quatro partes que, por sua vez, dividem-se em trinta capítulos distribuídos em quantidades desiguais entre elas. Na primeira parte há seis capítulos, na segunda, cinco, na terceira, sete e na última, dez. Alem destes, há ainda um prólogo e um epílogo, perfazendo assim um total de trinta capítulos.

Autor – Bassani
Tradução – Sandra Lazarini
Editora – Record
Distribuição – Fernando Chinaglia
Local de lançamento – Rio de Janeiro
Ano de lançamento – não consta. O ano do copyright é 1980.

Narrativa

A narrativa é feita pelo próprio autor, Giorgio Bassani, que era apaixonado por Micól, filha mais velha do Prof. Ermano e Sra. Olga de uma rica família de Ferrara, norte da Itália, os Finzi-Contini. O romance se desenrola entre os anos de 1938 e 1943. Ou seja, um ano antes da eclosão da Segunda Grande Guerra e um ano antes do seu fim. A Itália vivia num regime fascista, com Mussolini no poder já há mais de dez anos. O anti-semitismo era uma realidade na Itália mas, os personagens ignoram tal fato como se fosse uma folha que cai de uma árvore. Até que os Finzi-Contini são excluídos e proibidos de frequentar o clube de tênis local. Mesmo assim, eles permanecem com sua altivez e criam em sua casa uma espécie de miniclube que passa a ser frequentado por amigos da família, incluído Giorgio, o narrador da história.

O livro é um romance mas, um romance quase platônico. Não há quase nenhum contato entre os amantes. Eles “paqueram” desde a infância. Micól que frequentava a mesma sinagoga de Giorgio, sempre lhe lançava olhares convidativos mas, como ela era de uma classe muito superior à de Giorgio eles não tinham convivência. Giorgio era de uma família de classe média-alta e Micól era de uma família extremamente rica, talvez a mais rica de Ferrara.

Realidades de Giorgio e Micól

As realidades de Giorgio e Micól eram totalmente diversas. Micól nem sequer frequentava a escola. Ela tinha professores particulares e, só uma ou duas vezes por ano, ia à escola para prestar exames. Só após a expulsão dos Finzi-Contini do clube de tênis é que Giorgio passa a frequentar a casa dos Finzi-Contini. E nessa época, Micól não mais estava interessada em Giorgio. As investidas dele são, portanto, totalmente infrutíferas. Inclusive, em algumas ocasiões, Micól diz claramente a ele que não estava interessada nele. Então, o livro, na verdade, não é um romance mas, a história de um amor frustrado.

Em meio a tudo isso, há as restrições de direitos dos judeus pelo regime fascista da Itália. Durante a minha leitura registrei no Skoob minhas impressões que a seguir transcrevo.

Minhas impressões durante a leitura

Ao finalizar a leitura da página 41 atribuí nota dois e assim me expressei: Ainda muito no início mas já começa a mudar a má impressão que tive com a leitura das primeiras páginas. Era uma descrição muito pormenorizada e chata de membros de uma família e do seu mausoléu. Agora começa a delinear-se uma história, com enredo e emoções mas, ainda está iniciando, razão da cotação tão baixa. Promete ser uma boa leitura.

Ao finalizar a leitura da página 97 atribuí nota 3 e assim me expressei: As descrições pormenorizadas e infinitamente detalhadas se sobressaem neste livro. O interessante é você ficar conhecendo nomes de cidadezinhas nos arredores de Roma, Milão e Veneza e, costumes de uma burguesia extinta italiana.

Ao finalizar a leitura da página 136 atribuí nota 3 e assim me expressei: Um romance capenga pois, de relacionamento amoroso tem só um pálido arremedo. Quase todo o livro se passa discorrendo sobre as descrições pormenorizadas dos diversos lugares frequentados pelo autor como também, dos relacionamentos dele com os familiares de sua amada que afasta-se não só dele como dos parentes para estudar em Veneza. Talvez perto do final a expressão mude mas, até mais da metade desta narrativa, não passa de um romance aleijado.”

Ao finalizar a leitura escrevi: Só nos capitulos finais é que a história vem ganhar alguma cor. E a nota definitiva foi 3.

Resumindo: O livro não é uma coisa extraordinária como imaginava, dito ser uma obra-prima da literatura italiana. É uma leitura até certo ponto cansativa devido ao apelo excessivo das descrições muito pormenorizadas e detalhistas. Sem nenhum conteúdo real. Mas, como disse, no final o livro passa a mostrar alguma cor.

Sobre o autor

Giorgio Bassani, autor e narrador do livro, é um romancista e poeta italiano que publicou várias obras dentre as quais se destacam.: além desta, publicada em 1962, publicou também, Contos de Ferrara (1960), e posteriores a esta O jardim dos Finzi-Contini, Atrás da porta, Os óculos de ouro, A garça e O cheiro do feno. Publicou ainda um volume de poesias intitulado Em grande segredo.

Nasceu em março de 1916 Bolonha e faleceu aos 84 anos em abril de 2000 na sua cidade de adoção Camilo di Roma. Passou sua infância e juventude em Ferrara, cidade onde se desenrola os acontecimentos neste livro e, evocada em pelo menos, outra de suas obras,  a julgar pelo título de sua primeira obra publicada,

Seu pai era médico, embora nunca tenha exercido a profissão e sua mãe estudava canto até o casamento. Logo nos primeiros anos de sua infância, os pais foram transferidos para Ferrara e lá permaneceram por longo tempo. Ele tinha um pouco de gagueira, agravada por seu temperamento tímido e retraído. Tinha paixão pelos esportes e, em especial pelo tênis. Foi amigo de Michelangelo Antonioni. Em maio de 43 ele é preso lá permanecendo até julho quando é libertado com a queda do fascismo e a declaração de armistício da Itália com as Forças Aliadas. Em agosto, ao voltar da lua de mel vai residir em Florença com identidade falsa e assustado com a possibilidade de ser descoberto. Não quis mais voltar a Ferrara pois estava muito perigoso e convida a família para irem morar com ele.

The following two tabs change content below.
Alberto Valença nasceu em Olinda - PE. Sempre gostou muito de escrever, sendo a leitura um de seus divertimentos preferidos. Com quatro graduações concluídas, o autor enveredou por várias áreas do conhecimento. Em 1973 concluiu Licencitaura em Física pela UFPE, em 1980 concluiu Bacharelado em Psicologia e Formação de Psicólogo com especialização na área de Psicologia Escolar. em 1999 bacharelou-se em Direito e, no mesmo ano, foi aprovado na OAB-PE exercendo a profissão por dez anos. Publicou em 2014 um poema numa antologia e, agora, publica 15 poemas em outra antologia. Desde a infância gostava também de cinema e, em 2006, criou o blog Verdades de um Ser no qual divulga seus textos e comenta sobre literatura e cinema. Posteriormente, criou também o blog O seu companheiro de viagem, com o qual compartilha suas experiências de viagem oferecendo sempre dicas valiosas para quem quer viajar.
Share

3 ideias sobre “O jardim dos Finzi-Contini – Giorgio Bassani [Livro]

  1. Denise

    Nao li o livro, mas sei sobtre ele, porem apos sua nota 3 e sendo um romance assim, meio aleijado, sem cor, com descricoes de lugares e relegando emocoesa um segundo plano, pelo que entendi pela sua resenha… acho que dificilmente va ler o livro. Mas gostei muito da sua resenha e mais que isso, por economizar nosso tempo – pois mesmo 222 paginas, se boas eh muito bom ler, se mais ou menos… nem tanto 🙂 Um abraco!
    DenisesPlanet.com

    Responder
    1. Alberto Valença Autor do post

      Olá Denise. Mais uma vez, fico-lhe imensamente grato pelos seus comentários, sempre muito próprios e positivos. Mas por favor, não vá deixar de ler o livro só por causa do que escrevi. Pode ser que você tenha uma opinião diferente. Esta foi a minha visão. E em um determinado momento. Nem sempre, vejo apropriadamente. Dê uma chance ao Bassani. Ele é um excelente escritor. Leia as qualificações dele no que escrevi depois do seu comentário. Ele foi um dedicado estudioso.

      Responder
  2. Enio Piattelli

    Se V. não quer perder tempo com o livro, tente ver o filme de Vittorio de Sica feito em 1970.
    Na época das locadoras eu assisti em DVD. Mas tente o Netflix. É lindo, não vai se arrepender.
    Boa diversão.

    Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Desvende a charada para validar o comentário *