Lisbela e o prisioneiro – Guel Arraes [Filme online]

Share

Sobre o filme

Lisbela e o prisioneiro é uma adaptação da peça teatral homônima de autoria de Osman Lins, lançada em 1963 pela Edição da Sociedade Brasileira de Autores Teatrais em tiragem limitada (Segundo o site Passei Web) e, em 1964 em forma de livro pela editora Scipioni, entretanto, Osman Lins já havia encenado esta peça em 1961 para que não pensem que ela foi criada como fruto da Revolução de 1964 (Segundo a Wikipédia). Somente quase 40 anos depois (2003),  ela veio a ser adaptada para o cinema.

Sobre a adaptação

A adaptação de Guel Arraes, Pedro Cardoso e Jorge Furtado, não respeita o texto original. Esta adaptação tem muitas coisas diferentes como por exemplo: no filme, Lisbela estava para casar com um cara rico e com jeito de carioca, enquanto que no livro ela iria casar com um advogado rico. No livro, a história se passa em grande parte numa prisão enquanto no filme isto quase nem é mencionado. Há muitas outras divergências, que não vale a pena aqui mencionar, para não tirar a graça do filme, revelando partes essenciais de seu enredo.

Dados técnicos do filme

Direção – Guel Arraes
Produção – Brasileira
Ano de produção – 2003
Gênero – Comédia dramática romântico psicológica.
Música – João Falcão
Tempo de duração – 1 hora e 46 minutos
Elenco e personagens:
Débora Falabella – Lisbela de Nogueira e Lima
Selton Mello – Leléu Antônio da Anunciação
Virginia Cavendish – Inaura
Bruno Garcia – Douglas
Marco Nanini – Frederico Evandro
André Mattos – Tenente Guedes Lima
Tadeu Mello – Cabo Citonho
Lívia Falcão – Francisquinha
Paula Lavigne – Sumara / Monga, a Mulher Gorila
Heloísa Périssé – Prazeres
Aramis Trindade – Juiz
Carlos Casagrande – Steve
Michelle Birkheuer – Marion
Cláudio Perotto – Vilão: Doctor Klaus Nazista, Gênio da Lâmpada, Cowboy, Marido Traído

O enredo

A narrativa é ágil e cômica em vários trechos. O filme inicia com uma sessão de cinema num subúrbio de uma cidade do interior pernambucano, Vitória de Santo Antão. Conclui-se pelos personagens, roupas e cenários,  tratar-se de qualquer cidade nordestina.  Segundo o Estadão, clique no link para ler, o filme “mostra o Nordeste como subúrbio do mundo”, mostrando que aquela cidade poderia ser tanto em Pernambuco. como “na Índia, no Paquistão ou na periferia de São Paulo”.

Ninguém menciona, em nenhuma das críticas que li, a cidade de Vitória de Santo Antão mas, Leléu afirma ser esta a cidade onde ele encontra com Lisbela, anunciando no autofalante ao entrar na cidade com sua caminhonete que exibe a propaganda da atração  Monga, a mulher que vira macaco.

Lisbela entra na sala do cinema com o noivo procurando um lugar para sentar. Escolhe um, desiste, sai em busca de outro, e também desiste, encontrando um finalmente que lhe agrada. Este é em frente a uma cadeira vazia entre dois casais, onde certamente, ninguém sentaria na sua frente. E começa a descrever para o noivo e os espectadores, o que é o cinema, bem como o desenrolar do filme mostrando-se uma garota sonhadora e romântica.

Leléu, é um rapaz malandro, metido a conquistador e motorista de uma caminhonete velha, que gira pelo Nordeste levando sonhos para as pessoas. Vende desde estimulantes sexuais, a cartas de Tarô ou encenações com Jesus Cristo.

Antes de chegar a Vitória de Santo Antão, Leléu tivera um envolvimento com Inaura, a esposa de Frederico, que era um matador da cidade. E antes de sair do quarto de Inaura com quem Leléu acabara de se deitar, Frederico chega e descobre o ocorrido apesar de tentarem disfarçar. E sai em perseguição de Leléu.

Minha opinião

O filme é uma comédia romântica com algumas cenas muito divertidas. A cena do rádio, por exemplo, é homérica. Também se encontram muitos diálogos inteligentes. Apesar da originalidade da obra não ter sido respeitada, a adaptação não chegou a modificar radicalmente o texto do autor, nem também a essência . As interpretações estão perfeitas, especialmente Selton Melo e Marco Nanini que dão um verdadeiro show. Já Débora Falabella não tem um desempenho brilhante mas dá o seu recado direitinho. O amor dela pelo cinema é uma coisa bem característica e muito comum. Ela coloca no cinema toda a sua fantasia e sonhos. O cinema é como se fosse a sua fábrica de sonhos. Daí a sua tão grande admiração. O cinema, é na verdade, meio mágico mesmo. A trama é bem típica de uma cidade do interior e, você chega a notar uma influência forte de Ariano Suassuna na narrativa, embora ele não tenha nenhuma participação.  Mereceu 4 estrelinhas.

Curiosidades sobre o filme

Segundo o site Adoro Cinema (Link no nome do site) o filme Lisbela e o Prisioneiro foi o sétimo filme mais visto no Brasil em 2003, com um público de  3.146.461 espectadores.

Este é o primeiro longa metragem do diretor Guel Arraes realizado específicamente para o cinema, ao contrário de seus filmes anteriores, Caramuru – a invenção do Brasil e Auto da Compadecida, que foram adaptações de minisséries produzidas pela rede globo (assim, com minúsculas mesmo, para destacar a importância que dou a isto), de acordo com o mesmo site acima mencionado.

Apesar do que é afirmado no parágrafo anterior, este roteiro, antes de ser levado para o cinema, sofreu uma adaptação de Guel Arraes para um especial de 50 minutos exibido pela rede globo, e ainda, para uma peça teatral, de acordo também com o mesmo site já mencionado.

Uma lata com os negativos originais do filme, foi perdida no laboratório da Mega Collor, obrigando o diretor, a rodar novamente as cenas daquela parte, que estava na lata perdida, conforme informações do mesmo site já mencionado no primeiro parágrafo deste título e, antes dele, o Estadão, também já mencionado.

Segundo a Wikipédia, a banda Os Condenados que executa um antigo sucesso do cantor Paulo Sérgio “Para o diabo os conselhos de vocês” é uma banda fictícia, criada exclusivamente para o filme, e liderada por Clarice Falcão, filha do produtor musical do filme, João Falcão.

LEIA AS INSTRUÇÕES ABAIXO COM ATENÇÃO

Se você chegou até aqui através da página Compartilhando minhas verdades [Filmes online] você já deve ter lido as instruções abaixo. Basta então seguir àquilo que você já leu naquela página. Caso tenha vindo até aqui diretamente pela postagem, leia com atenção o restante das instruções.

Instrução adicional

Para assistir aos filmes deste blog você deverá estar inscrita(o) no Vk, site onde estão hospedados todos os filmes que aqui são disponibilizados. Após o registro no Vk , que você só precisa fazer uma vez, sempre que você for assistir a algum filme deverá primeiro fazer o login com seu email ou telefone registrado e a senha usada no registro. Para se registrar ou fazer login, acesse o link ao lado. Registro no Vk.

Para assistir ao filme abaixo, após ter feito o login no Vk, você deve clicar na setinha para direita. e logo em seguida clicar em pausar. Espere para carregar o filme aguardando algum tempo. Dependendo da velocidade de sua conexão, isto poderá levar de 5 a 10 minutos, até que o filme seja carregado. Depois desse tempo clique na setinha novamente para parar a exibição. Aguarde então alguns minutos mais, enquanto os próximos minutos do filme são carregados. Você verá a linha do tempo sendo preenchida. Quando ela estiver preenchida até perto da metade, pode dar início novamente à exibição.

Se a espera for maior do que este tempo, sugiro que reduza a resolução para 240p. Isto irá baixar a qualidade da imagem, ou então, espere mais tempo. Provavelmente, neste caso, se você não baixar a resolução, haverá interrupções ao longo da exibição. Porém se a velocidade de sua conexão estiver boa, aumente a resolução conforme desejar para usufruir de melhor qualidade.

Recomendações

Ajuste o áudio conforme sua conveniência no próprio player do filme e no seu sistema operacional. É recomendável a utilização de fones de ouvido para apreciar melhor os sons do filme. Você também pode assistir ao filme em tela cheia, basta clicar na setinha (semelhante à figura abaixo) do lado inferior direito.

Depois de assistir ao filme, pode fazer um comentário sobre ele. Até peço que o faça. Será muito útil. Não só para mim, que poderei avaliar como está repercutindo meu esforço, como também para outros visitantes, que poderão saber opiniões de outras pessoas sobre o filme a que irão assistir (ou não).  Basta clicar em “Deixe um comentário” ou “xx resposta(s)” no início da postagem no canto superior esquerdo. Boa diversão.

 

IMPORTANTE

Este blog não tem fins lucrativos. Não recebo nada pelo que ofereço, além da satisfação dos leitores. No blog não tem propaganda de nenhuma espécie. Não tenho intenção de infringir a lei. Se algém se sentir prejudicado em seus direitos autorais, basta me enviar uma mensagem pelo email que tirarei de imediato o filme do blog.

contato-blog

The following two tabs change content below.
Alberto Valença nasceu em Olinda - PE. Sempre gostou muito de escrever, sendo a leitura um de seus divertimentos preferidos. Com quatro graduações concluídas, o autor enveredou por várias áreas do conhecimento. Em 1973 concluiu Licencitaura em Física pela UFPE, em 1980 concluiu Bacharelado em Psicologia e Formação de Psicólogo com especialização na área de Psicologia Escolar. em 1999 bacharelou-se em Direito e, no mesmo ano, foi aprovado na OAB-PE exercendo a profissão por dez anos. Publicou em 2014 um poema numa antologia e, agora, publica 15 poemas em outra antologia. Desde a infância gostava também de cinema e, em 2006, criou o blog Verdades de um Ser no qual divulga seus textos e comenta sobre literatura e cinema. Posteriormente, criou também o blog O seu companheiro de viagem, com o qual compartilha suas experiências de viagem oferecendo sempre dicas valiosas para quem quer viajar.
Share

Uma ideia sobre “Lisbela e o prisioneiro – Guel Arraes [Filme online]

  1. Denise

    Nao vi este filme e em mesmo na TV, pois creio que estava fora. Mas me parece interessante e eu vou querer ver sim. A resenha esta otima e da uma excelente ideia do que esperar do filme! Se vem com a etiqueta Guel Arraes e o trabalho, dentre outros, de Marco Nanini, ja eh recomendacao suficiente! Um abraco!
    DenisesPlanet.com

    Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *