Share

“Eu sou a força criadora da minha vida”.
Esta frase encontrei no blog de uma garota. Ela me fez pensar sobre o tema e motivou-me a escrever sobre isso.
Nós somos a força motivadora de nossas vidas!
Incrível o poder que temos e muitas e muitas vezes deixamo-lo escoar por entre os dedos como água…
Nossa vida depende de nossos atos. Sem eles, ficamos inertes. Sem eles, nossa vida inexiste. Daí a força da frase.
Por isso não podemos nos entregar a tristezas, a depressões, a negativismos.
A nossa vida, e muitas vezes também a de outras pessoas, dependem de nós. Sim, porque até que tomemos consciência de nosso poder e responsabilidade, quase sempre são outras pessoas que assumem esse poder.
Já cheguei a emprestar toda razão de meu ser a outra pessoa. Que insensatez!!!
É o nosso ser que está sendo disponibilizado. E ninguém, absolutamente ninguém, pode ou deve ter o poder de vida e de morte sobre outro.
É a nossa sensibilidade que mobiliza nossas energias. É assim, através de vibrações das mais variadas, que podemos motivar nossas ações e, desse modo, fazer nossa vida evoluir.
Uma poesia, por exemplo, um raio de sol, uma flor ou um passarinho, ou ainda um sorriso são capazes de desencadear nossa força interior e criar um oasis ou um deserto.
De cada sutileza, pode surgir um vulcão.
E sou eu, a força criadora desse vulcão.

The following two tabs change content below.
Alberto Valença nasceu em Olinda - PE. Sempre gostou muito de escrever, sendo a leitura um de seus divertimentos preferidos. Com quatro graduações concluídas, o autor enveredou por várias áreas do conhecimento. Em 1973 concluiu Licencitaura em Física pela UFPE, em 1980 concluiu Bacharelado em Psicologia e Formação de Psicólogo com especialização na área de Psicologia Escolar. em 1999 bacharelou-se em Direito e, no mesmo ano, foi aprovado na OAB-PE exercendo a profissão por dez anos. Publicou em 2014 um poema numa antologia e, agora, publica 15 poemas em outra antologia. Desde a infância gostava também de cinema e, em 2006, criou o blog Verdades de um Ser no qual divulga seus textos e comenta sobre literatura e cinema. Posteriormente, criou também o blog O seu companheiro de viagem, com o qual compartilha suas experiências de viagem oferecendo sempre dicas valiosas para quem quer viajar.
Share

Uma ideia sobre ““Eu sou a força criadora da minha vida”

  1. Joselita

    Essa sua frase: “Já cheguei a emprestar toda razão de meu ser a outra pessoa. Que insensatez!!!” Deixou-me meio confusa…
    Talvez esse “empréstimo”, esse doar algo de si, a “outra pessoa”, tenha tido um lado bom que não foi enxergado… Tudo que se faz por amor, por bondade, gera algo de bom de volta.
    Às vezes, esse “empréstimo” se faz num momento em que se queira algo. Então nesse momento é benéfico, proveitoso… Mas, quando o interesse passa, vem o sentimento de “insensatez!!!”. Insensatez mesmo, talvez tenha sido a forma como se interpretou o ocorrido. Talvez ainda, “insensatez” tenha sido se arrepender de ter cometido tal “empréstimo”. Ou de ter analisado a coisa num momento de mágoa.
    Na vida, tudo é tão inconstante…

    Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Desvende a charada para validar o comentário *