Questões gramaticais #1 – O mau emprego de “A gente” e “Agente”

Share

Não confundir “A gente” com “Agente”

Pior ainda que os erros apontados por alguém que escreveu sobre um tema semelhante, referindo-se aos erros de concordância verbal no uso da locução “a gente”, é quando você encontra a confusão entre “agente” e “a gente”.

Tenho lido nesta grande aldeia global amiúde, pessoas que não distinguem uma expressão da outra. Escrevem sobre “a gente”, isto é, NÓS” como se fosse  “aquele que opera”, “que age”, isto é, “agente”. Ou seja, escrevem: “agente, vai se encontrar hoje à noite.”

Surge de imediato a pergunta: com quem? Sim, pois se é o agente que vai se encontrar hoje à noite, ele se encontrará com alguém.
Mas a pessoa que escreveu não entende a pergunta!
– Como com quem? “Agente vai se encontrar, ora! eu, você, Maria, João e José…”
– Ah! você quis dizer “a gente vai se encontrar”.

“A gente”, é uma expressão ou locução, que pode ser substituída por “nós”. Gente é um substantivo feminino originado do latim (gens, gentis) que significa conjunto de pessoas de mesmo nome ou família.
Embora “a gente” possa ser substituída por “nós” ela corresponde à terceira pessoa do singular.

Definições de “agente” e ” a gente”

Então: “a gente” é feminino e,
“Agente”, é um substantivo masculino que significa autor de uma ação, aquele que opera, que age.

Tenho encontrado com muita frequência, infelizmente, erros desse tipo. E são pessoas universitárias ou já graduadas. Até professores de português viu? Imagine o que ensinam aos que sentam nos bancos das salas de aula!!!

Então, coloque uma coisa na cabeça.

Agente (pegado) é coisa para 007. É o agente secreto. Ou é um agente de polícia. Ou é um agente da companhia de aviação. Mas você estará sempre se referindo A UMA PESSOA ENCARREGADA DE ALGUMA COISA, ao usar as duas palavras juntas.

Enquanto que “a gente” (separado) se refere a NÓS. Um conjunto de pessoas onde, você, está incluída (o).

The following two tabs change content below.
Alberto Valença nasceu em Olinda - PE. Sempre gostou muito de escrever, sendo a leitura um de seus divertimentos preferidos. Com quatro graduações concluídas, o autor enveredou por várias áreas do conhecimento. Em 1973 concluiu Licencitaura em Física pela UFPE, em 1980 concluiu Bacharelado em Psicologia e Formação de Psicólogo com especialização na área de Psicologia Escolar. em 1999 bacharelou-se em Direito e, no mesmo ano, foi aprovado na OAB-PE exercendo a profissão por dez anos. Publicou em 2014 um poema numa antologia e, agora, publica 15 poemas em outra antologia. Desde a infância gostava também de cinema e, em 2006, criou o blog Verdades de um Ser no qual divulga seus textos e comenta sobre literatura e cinema. Posteriormente, criou também o blog O seu companheiro de viagem, com o qual compartilha suas experiências de viagem oferecendo sempre dicas valiosas para quem quer viajar.
Share