Os dias são numerados – Elio Petri [Filme]

Share

Direção – Elio Petri

Elio Petri é o grande diretor desta obra prima que conquistou o primeiro prêmio no Festival de Mar del Plata de 1962.

i_giorni_contati4

Título original – I Giorni Contati

I Giorni contati – Elio Petri, produção italiana de 1962 que assisti no Cinema de Arte Coliseu em 22 de março de 1967. Filme em preto e branco com tela pequena. Ganhou o 1º prêmio do Festival de Mar del Plata em 1962.

Cesário (Salvo Randoni) é um homem frustrado que um dia numa viagem de ônibus vê um homem de sua idade, sentado no banco do ônibus morto com um jornal nas mãos. A partir de então, fica obcecado e só pensa na morte. Vai até um amigo, conta-lhe o ocorrido e lhe diz que não vai mais trabalhar para não ter mais que pegar ônibus. Passa a viver com suas economias.

Uma moça lindíssima (Graziela), filha da dona da pensão (Marcela Valeri) em que vivia é outra personagem de ‘I Giorni contati’. Um dia ele a vê saltar de um carro caríssimo e fica decepcionado. No dia seguinte ela vem lhe dizer que já havia deixado de trabalhar há 2 meses e , ao procurar emprego novamente só encontrara um que exigia uma fiança de 10 mil libras e ela não tinha tal quantia. Cesário lhe empresta a tal quantia e diz pra ela lhe pagar 100 libras por mês. Ela compra uma peruca com este dinheiro e para pagá-lo, oferece-se a ele sexualmente. Ele recusa e vai pra cama com uma prostituta mas é inútil. A impotência o desmoraliza.

A derrota de um homem

Ele volta então pra sua terra mas só encontra um amigo, os outros todos estavam mortos. Volta outra vez para cidade de onde saíra e lá encontra uma mulher que havia sido sua paixão no passado. Tenta reviver sua distante adolescência mas vê que era impossível. Ela já era casada e avó e ele muito velho. Já sem dinheiro, vai quebrar o braço para ser indenizado mas não tem coragem e foge. Vê um mendigo e lhe pergunta quanto ele arrecada por dia. O mendigo nada responde mas Cesário o segue e descobre que ele vivia melhor que um rei com as esmolas que obtinha. Volta a trabalhar e vê que só o trabalho o fazia esquecer da vida.

Presencia o afogamento de um homem na praia e imagina: “E se fosse eu que tivesse morrido?” Um de seus amigos lhe pergunta por que ele era tão metido na vida dos outros e Cesário responde: “Eu quero conhecer todos. Nós vivemos entre desconhecidos e nem sequer nos preocupamos em saber de seus problemas.” Tempos depois, quando já não se preocupava mais com a morte, compra um jornal e morre numa viagem de ônibus. O ônibus vai aos poucos desaparecendo na tela até tornar-se um ponto. Esta viagem em que ele morre, ele a faz como uma última viagem, na qual vê todos os aspectos da vida cotidiana.
giorni-contati2

Informações sobre a exibição do filme em Recife

Assisti a ‘I giorni contati’ duas vezes em dois dias consecutivos. Na segunda vez fui com Jomar, um primo que também gostava muito de cinema como eu. Este filme havia sido programado para lançamento por duas vezes em Recife. A primeira pra encerrar a programação do ano de 1965 do Cinema de Arte do São Luiz e, de última hora foi substituído por Amores Fracassados, um filme ótimo. A segunda foi no festival de cinema para comemoração dos cinco anos do Cinema de Arte do São Luiz em julho de 1966 mas de última hora também foi substituído por outro filme, desta vez por ‘A grande guerra’ (formidável). Finalmente, na nova fase do Cinema de Arte, no Cinema Coliseu, quando passou a ter duas exibições diárias, com dois lançamentos por semana, ele finalmente foi apresentado ao público.
giorni-contati3O desempenho de Salvo Randoni (Cesário) é magistral. Ele aparece em todas as cenas do filme. Representa um homem que vê todos os seus 57 anos de vida desperdiçados. Ele tinha sido um inútil e tenta reviver o que não conseguira no passado na tentativa de corrigir os equívocos de sua existência.

Com o sexo fracassa em virtude de sua impotência. No amor, fracassa pela irremediável diversidade de caminhos que cada um toma na vida, pois sua amada agora era casada e tinha netos. Ele deixara passar a oportunidade. Com os amigos não pode viver pois todos haviam morrido.  Apenas no trabalho, ele era encanador, poderia fazer algo mas quando resolve voltar a trabalhar, morre.

Cesário foi um homem frustrado que a sociedade não considera. Homem que queria conhecer todos que o rodeavam, homem que os amigos não compreendiam. Cesário não podia viver entre estranhos e morre justamente como temia.
dias-numerados

Dados técnicos do filme

Produção – Itália
Ano de lançamento – 1962
Duração do filme – 1 hora e 45 minutos
Elenco:
• Salvo Randone………..Cesare Conversi
• Regina Bianchi………..Giulia
• Marcella Valeri………..Mãe de Graziella
• Angela Minervini……..Graziella
• Giulio Battiferri………..Spartaco
• Lando Buzzanca……….Filho de Cesare
• Franco Sportelli………..Amilcare Franceschelli
• Paolo Ferrari…………….Vinicio
• Vittorio Caprioli………..Professor
• Vincenzo Falanga     Mazzolatore
E ainda:
Alberto Amato, Aldo Pini,  Vittorio Donati, Pasquale Esposito, Renato Maddalena e Vittorio Bottone.
Mereceu 6 estrelinhas. Cotação máxima!

The following two tabs change content below.
Alberto Valença nasceu em Olinda - PE. Sempre gostou muito de escrever, sendo a leitura um de seus divertimentos preferidos. Com quatro graduações concluídas, o autor enveredou por várias áreas do conhecimento. Em 1973 concluiu Licencitaura em Física pela UFPE, em 1980 concluiu Bacharelado em Psicologia e Formação de Psicólogo com especialização na área de Psicologia Escolar. em 1999 bacharelou-se em Direito e, no mesmo ano, foi aprovado na OAB-PE exercendo a profissão por dez anos. Publicou em 2014 um poema numa antologia e, agora, publica 15 poemas em outra antologia. Desde a infância gostava também de cinema e, em 2006, criou o blog Verdades de um Ser no qual divulga seus textos e comenta sobre literatura e cinema. Posteriormente, criou também o blog O seu companheiro de viagem, com o qual compartilha suas experiências de viagem oferecendo sempre dicas valiosas para quem quer viajar.
Share

Uma ideia sobre “Os dias são numerados – Elio Petri [Filme]

  1. Laura Rossi

    Alberto, muito legal ter descoberto seu blog! Sou pesquisadora de cinema e estava escrevendo justo sobre o filme de Petri quando me deparei com o seu depoimento acima… Foi muito importante para confirmar a data de estreia do filme em Recife, principalmente com esse fato curioso das exibicoes serem canceladas em cima da hora!!
    Parabens pelo conteudo… encantador!!!

    Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Desvende a charada para validar o comentário *