Os belos dias [Filme]

Share

Este é o filme cujos comentários foram postados há 15 dias no blog Meu pequeno vício.

Título original –  Les beaux jours
Direção – Marion Vernoux

les-beaux-jours

Música – Quentin Sirjacq
Produção – França
Duração – 1h 35min
Ano de lançamento – 2013

Elenco e protagonistas
Fanny Ardant como Caroline
Laurent Lafitte como Julien
Patrick Chesnais como Philippe
Jena François Stevenn como Roger
Fanny Cottençon como Chantal
Catherine Lachens como Sylviane
Alain Cauchi como Jacky
Marie Riviere como Jocelyne
Marc Chapiteau como Hugues
Féodor Atkine como Paul
Olivia Cote como Lydia
Emile Caen como L’hótesse
Eléonore Bernheim como Lise
Maud Le Guenedal como Rebecca
Roman Tabar Nouval

Baseado no livro Une jeune fille aux cheveux blancs (Uma menina com cabelo branco) de Fanny Chesnel, Les beaux jours é uma adaptação da própria diretora francesa Marion Vernoux, que trás para tela grande, um romance que trata das agruras e prazeres da velhice. Com uma interpretação maravilhosa de Fanny Ardant (Caroline), a diretora consegue nos apresentar um clima leve e agradável de um tema muito explorado sem se tornar, em momento algum, desagradável ou cansativo. Com uma música envolvente e bonita de Quentin Sirjacq e cenários bem escolhidos, este longa irá tornar seu tempo de pouco mais de hora e meia muito satisfatório.

belosdias1

Os belos dias tem um duplo sentido: é o nome do clube para idosos aposentados que são levados a brincar com aulas de teatro, informática, cerâmica, etc e, os dias especiais vividos por Caroline numa divagação de sua vida cotidiana ao lado de um jovem amante da idade de suas filhas.

belosdias2
Caroline vive uma relação já desgastada pelo tempo com Philippe, acabara de se aposentar do ofício de dentista e perdera há 5 meses sua melhor amiga com câncer. Está com 60 anos e as filhas, preocupadas com sua apatia resolvem dar-lhe de presente a matrícula em um clube de recreação para idosos onde ela iria, aparentemente, conhecer outras pessoas e ter uma ocupação que pudesse tornar seus dias mais agradáveis. Ela mesmo a contragosto, resolve ir lá para conhecer e, logo na primeira aula de teatro, é humilhada pela professora que a convida para ir ao palco apresentar-se e faz algumas brincadeiras que não a agradam, levando-a a abandonar a aula e o clube sem dar satisfações e repentinamente. Mas precisa voltar lá para pedir uma orientação ao professor de informática, Julien (Laurent Lafitte) e, ao sair da aula, saem para almoçar e daí, surge um romance entre os dois. Ele é mais de 20 anos mais novo que ela e lhe trás de volta a juventude, o arrebatamento, o encantamento, o desejo, o sexo, a vitalidade.
Mas ela é casada com Philippe (Patrick Chesnais) e este descobre tudo. Os desdobramentos não devo aqui mencioná-los para não perder o interesse de quem for ler estes comentários mas, certamente, são bem conduzidos por Vernoux que oferece ao telespectador um olhar .diferenciado sobre o tema. Não espere encontrar coisas reveladoras ou acontecimentos surpreendentes pois isso não há. Mas você verá um filme que irá lhe encantar. Em particular em algumas cenas que destaco:

  • O diálogo com o marido após a sua descoberta e revelação do que sabe sobre a relação dela com Julien é imperdível.
  • As duas primeiras cenas de sexo entre Caroline e Julien. A primeira no carro e a segunda na sala dele no clube.
  • No aeroporto, as duas gerações em confronto.
  • O diálogo com a filha mais jovem revelando-lhe o caso que estava tendo com Julien.

Fanny Ardant é uma conhecida atriz francesa pelas suas atuações em filmes como A mulher do lado (1981), Elizabeth (1998), 8 mulheres (2002), Callas forever (2002), Nathalie (2003), Paris, eu te amo (2006), Cadências obstinadas (2013) e por ter sido companheira do diretor francês François Truffaut, entre os anos de 1980 e 1984, quando ele morreu. Recebeu o prêmio César de melhor atriz em 1997 por sua interpretação em Loucas noites de batom. O César é o Oscar do cinema francês.

Para estes 94 minutos que eu indico como momentos de sofisticada diversão, eu marco com quatro estrelinhas. A seguir, algumas cenas do filme.

quatro-estrelas

 

 

belosdias4

belosdias5

 

belosdias7

 

belosdias8

The following two tabs change content below.
Alberto Valença nasceu em Olinda - PE. Sempre gostou muito de escrever, sendo a leitura um de seus divertimentos preferidos. Com quatro graduações concluídas, o autor enveredou por várias áreas do conhecimento. Em 1973 concluiu Licencitaura em Física pela UFPE, em 1980 concluiu Bacharelado em Psicologia e Formação de Psicólogo com especialização na área de Psicologia Escolar. em 1999 bacharelou-se em Direito e, no mesmo ano, foi aprovado na OAB-PE exercendo a profissão por dez anos. Publicou em 2014 um poema numa antologia e, agora, publica 15 poemas em outra antologia. Desde a infância gostava também de cinema e, em 2006, criou o blog Verdades de um Ser no qual divulga seus textos e comenta sobre literatura e cinema. Posteriormente, criou também o blog O seu companheiro de viagem, com o qual compartilha suas experiências de viagem oferecendo sempre dicas valiosas para quem quer viajar.
Share

2 ideias sobre “Os belos dias [Filme]

  1. Denise

    Sempre gostei de Fanny Ardant, eh uma excelente atriz! Imagino sim que nao sera diferente neste filme e gostaria de ve-lo! Ela foi a condessa que casou com Balzac, Eva Hansska, no fime sobre Balzac (um deles), e sua atuacao foi, como sempre otima. Acho que ela tem delicadeza em como personificar mulheres fortes. Este filme parece falar de coisas tao atuais, mas mesmo assim nao parece piegas. Adoro suas resenhas!
    DenisesPlanet.com

  2. Alberto Valença Autor do post

    Ola´Denise. Seja mais uma vez bem-vinda a este blog. Também adoro Fanny Ardant. Veja mesmo este filme que você não vai se arrepender. Por acaso, vi 3 filmes dela recentemente. Agradeço por suas palavras gentis. Um abraço e volte sempre.

Os comentários estão fechados.