O satânico Dr. No – Terence Young [Filme visto há 50 anos]

Share

Título original – Dr. No

Este foi o primeiro filme do agente secreto britânico James Bond, também conhecido como Agente 007. Dr. No foi lançado em 1962 e transformou-se numa série de muito sucesso até os dias atuais com uma saga de 24 filmes. É o terceiro maior sucesso de bilheteria de uma franquia. O primeiro é a série de Harry Potter e o segundo os filmes do super-herói Marvel.

Este título da postagem é o que foi exibido no cinemas no ano de seu lançamento no Brasil, em 1963. Atualmente eles mudaram o título deste filme para 007 contra o satânico Dr. No.

Direção – Terence Young

Foi o responsável pela caracterização de James Bond como personagem. Terence Young nasceu na China, em Xangai mas educou-se na Inglaterra. Foi o realizador não só deste filme mas também do segundo e quarto filme da saga de 007.

Aviso importante

Este filme já tem uma postagem anterior aqui no blog, a exemplo de tantos outros vistos no ano de 1967. Como estou postando em sequência, todos os filmes vistos há cinquenta anos, uma vez que estamos em 2017 e como pretendo, como já mencionei em postagem anterior, postar cada filme exatamente no dia em que assisti a ele há 50 anos, vou postar novamente este filme com anotações diferentes das que escrevi na postagem original mas, para quem desejar ler o que escrevi na postagem primitiva, deixo a seguir um link que levará você até aquela postagem. Inclusive, é disponibilizado nela, o filme para você ver online.

Postagem anterior deste filme

Dados técnicos sobre o filme

Produção – Inglaterra
Ano de lançamento – 1962
Duração do filme – 1 hora e 45 minutos
Gênero – Drama de suspense, ação, espionagem, ficção científica e aventuras românticas
Elenco e personagens:

Sean Connery — James Bond
Ursula Andress — Honey Ryder
Joseph Wiseman — Dr. No, membro da SPECTRE
Bernard Lee — M, chefe do MI-6
Lois Maxwell — Miss Moneypenny, a secretária de M
Jack Lord — Felix Leiter, agente da CIA
Anthony Dawson — Professor Dent
Zena Marshall — Miss Taro
John Kitzmuller — Quarrel

Minha opinião sobre o filme

Assisti a este filme no cinema Pathé, antigo cinema Capricho em Afogados no dia 20 de fevereiro, uma segunda-feira pela segunda vez. A primeira foi no cinema Art Palácio em 1964, no dia 01 de novembro quando o considerei formidável mas, da segunda vez creio que já tendo visto muitos outros filmes de espionagem, considerei-o apenas bom. Alem disso, a exibição do filme nesta segunda vez tinha 10 minutos de cortes. Acredito que pela antiguidade da película.

Uma coisa porem, ficou marcada neste filme, transformando-se, mais tarde, numa verdadeira marca registrada do agente 007. É a cena em que Bond se apresenta numa mesa de carteado em um cassino. Ele diz: “Meu nome é Bond, James Bond.” Merece, por isso, um registro especial.

Veja o filme online na postagem anterior aqui no blog clicando no link lá em cima. E, se gostar, deixe seus comentários. Eles são muito importantes.

The following two tabs change content below.
Alberto Valença nasceu em Olinda - PE. Sempre gostou muito de escrever, sendo a leitura um de seus divertimentos preferidos. Com quatro graduações concluídas, o autor enveredou por várias áreas do conhecimento. Em 1973 concluiu Licencitaura em Física pela UFPE, em 1980 concluiu Bacharelado em Psicologia e Formação de Psicólogo com especialização na área de Psicologia Escolar. em 1999 bacharelou-se em Direito e, no mesmo ano, foi aprovado na OAB-PE exercendo a profissão por dez anos. Publicou em 2014 um poema numa antologia e, agora, publica 15 poemas em outra antologia. Desde a infância gostava também de cinema e, em 2006, criou o blog Verdades de um Ser no qual divulga seus textos e comenta sobre literatura e cinema. Posteriormente, criou também o blog O seu companheiro de viagem, com o qual compartilha suas experiências de viagem oferecendo sempre dicas valiosas para quem quer viajar.
Share

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Desvende a charada para validar o comentário *