Link
Share

arca_noe1Título – A arca de Noé
Autor – Vinícius de Moraes
Editora – Companhia das Letrinhas
Capa – Marcelo Serpa
Projeto gráfico – Hélio de Almeida
Páginas – 86
Revisão – Isabel Santana e Maria Eugênia Régis
2ª edição, 24ª reimpressão
Ilustrações – Laura Beatriz

Vinícius de Moraes é um autor que dispensa apresentações mas, por força do hábito, escreverei alguma coisa sobre ele.

viniciusVinícius de Moraes era o nome como era conhecido Marcus Vinícius de Moraes, nascido no Rio de Janeiro em 1013 e falecido na mesma cidade em 1980, antes de completar 67 anos. Segundo a Wikipédia Vinícius era um “poeta essencialmente lírico, o que lhe renderia a alcunha “poetinha”, que lhe teria atribuído Tom Jobim, notabilizou-se pelos seus sonetos. Conhecido como um boêmio inveterado, fumante e apreciador do uísque, era também conhecido por ser um grande conquistador. O poetinha casou-se por nove vezes ao longo de sua vida e suas esposas foram, respectivamente: Beatriz Azevedo de Melo (mais conhecida como Tati de Moraes), Regina Pederneiras, Lila Bôscoli, Maria Lúcia Proença, Nelita de Abreu, Cristina Gurjão, Gesse Gessy, Marta Rodrigues Santamaria (a Martita) e Gilda de Queirós Mattoso.
Sua obra é vasta, passando pela literatura, teatro, cinema e música. No campo musical, o poetinha teve como principais parceiros Tom Jobim, Toquinho, Baden Powell, João Gilberto, Chico Buarque e Carlos Lyra.”
Imortalizado e mundialmente conhecido principalmente por sua poesia “Garota de Ipanema” que foi musicada por Tom Jobim em 1962. Conhecido por seu romantismo, principalmente pelos livros “Para uma menina com uma flor” e “Para viver um grande amor” tornou-se um ídolo das mulheres constituindo-se num símbolo da MPB juntamente com Tom Jobim. Era conhecido por seus sonetos sendo os mais famosos “Soneto da fidelidade” e “Soneto da separação“, sendo o primeiro, declamado pelo autor num show na Argentina enquanto era tocada a música “Eu sei que vou te amar” .
O mais interessante é que Vinícius, com toda esta história, havia escrito para seus filhos os poemas de “A arca de Noé” que ficaram guardados por muitos anos e só em 1970 se transformaram num lançamento musical em parceria com Tom Jobim.
Este disco tornou Vinícius ainda mais conhecido pois ampliou seu público para o infantil. Naquele tempo haviam programas infantis na TV brasileira  que realmente valiam a pena. Sobre isso quero transcrever um comentário de uma mãe no You tube do CD que compartilho abaixo, com meus, agora, já 27 leitores.Glória Soares escreve:

“Saudades do tempo em que as emissoras de tv se preocupavam em oferecer programas realmente infantis. Tenho todos esses gravados: Além desses dois, Vinícius para crianças, Turma do Balão Mágico, Plunct plact zummm…Meus filhos realmente tiveram uma ótima infância!”

No vídeo acima você ouvirá o CD de “A arca de Noé” vol.1. As músicas são:
    1 – A arca de Noé (A ARCA DE NOÉ)
    2 – O pato (A ARCA DE NOÉ)
3 – Corujinha (A ARCA DE NOÉ)
4 – A foca (A ARCA DE NOÉ)
5 – As abelhas (A ARCA DE NOÉ)
6 – A pulga (A ARCA DE NOÉ)
7 – Aula de piano (A ARCA DE NOÉ)
8 – A porta (A ARCA DE NOÉ)
9 – A casa (A ARCA DE NOÉ)
10 – São Francisco (2ª versão musical) (A ARCA DE NOÉ)
11 – O gato
12 – O relógio (A ARCA DE NOÉ)
13 – Valsa para uma menininha (A ARCA DE NOÉ)
14 – Final – Arca de Noé
 “A arca de Noé” é essa riqueza de poesias infantis, quase todas com animais, escritas para os filhos de Vinícius e que hoje, desfrutamos desse tesouro.
São 32 poesias sendo 3 inéditas. Não consta desta edição, assim como também não das anteriores, “A aula de piano“. Delas, as mais conhecidas são “A casa” e “O pato” mas, todas são muito bem humoradas e divertidas. Compartilho também com meus queridos 27 leitores os vídeos dessas duas músicas do CD volume 1 de “A arca de Noé“.
Para incentivar as crianças a gostarem da poesia não tem receita melhor.
É um livro que não pode faltar em nenhuma estante que se preze. Merece quatro estrelinhas.
A Casa
Vinícius de Moraes (Do livro “A arca de Noé” – pg. 28)
Era uma casa
Muito engraçada
Não tinha teto
Não tinha nada
Ninguém podia
Entrar nela, não
Porque na casa
Não tinha chão
Ninguém podia
Dormir na rede
Porque na casa
Não tinha parede
Ninguém podia
Fazer pipi
Porque penico
Não tinha ali
Mas era feita
Com muito esmero
Na Rua dos Bobos
Número Zero

O Pato
Vinicius de Moraes (Do livro “A arca de Noé” – pg. 40)

Lá vem o Pato
Pata aqui, pata acolá
Lá vem o Pato
Para ver o que é que há

O Pato pateta
Pintou o caneco
Surrou a galinha
Bateu no marreco
Pulou do poleiro
No pé do cavalo
Levou um coice
Criou um galo

Comeu um pedaço
De jenipapo
Ficou engasgado
Com dor no papo
Caiu no poço
Quebrou a tigela
Tantas fez o moço
Que foi pra panela.

Não esqueça de deixar seu comentário. A riqueza de um blog é constituída, principalmente, pelos comentários dos seus leitores. Se gostar, siga o blog. É importante o número de seguidores. Desde já agradeço.

Não posso deixar de acrescentar um vídeo com a eterna musa da MPB – Elis Regina – cantando “Corujinha”, musicada por Toquinho em 1975. É simplesmente emocionante! Não poderia deixar de brindar meus queridos 27 leitores com esta música acompanhada do poema de Vinícius, inserido no livro “A arca de Noé” na sua página 62.

Corujinha
Vinícius de Moraes (Do livro “A arca de Noé” – pg. 62)

Corujinha, corujinha
Que peninha de você
Fica toda encolhidinha
Sempre olhando não sei quê

O seu canto de repente
Faz a gente estremecer
Corujinha, pobrezinha
Todo mundo que te vê
Diz assim, ah, coitadinha
Que feinha que é você

Quando a noite vem chegando
Chega o teu amanhecer
E se o sol vem despontando
Vais voando te esconder

Hoje em dia andas vaidosa
Orgulhosa como quê
Toda noite tua carinha
Aparece na TV
Corujinha, coitadinha
Que feinha que é você

Leia o texto completo
The following two tabs change content below.
Alberto Valença nasceu em Olinda - PE. Sempre gostou muito de escrever, sendo a leitura um de seus divertimentos preferidos. Com quatro graduações concluídas, o autor enveredou por várias áreas do conhecimento. Em 1973 concluiu Licencitaura em Física pela UFPE, em 1980 concluiu Bacharelado em Psicologia e Formação de Psicólogo com especialização na área de Psicologia Escolar. em 1999 bacharelou-se em Direito e, no mesmo ano, foi aprovado na OAB-PE exercendo a profissão por dez anos. Publicou em 2014 um poema numa antologia e, agora, publica 15 poemas em outra antologia. Desde a infância gostava também de cinema e, em 2006, criou o blog Verdades de um Ser no qual divulga seus textos e comenta sobre literatura e cinema. Posteriormente, criou também o blog O seu companheiro de viagem, com o qual compartilha suas experiências de viagem oferecendo sempre dicas valiosas para quem quer viajar.
Share

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Desvende a charada para validar o comentário *