Plágio é crime – Entre nesta campanha [Texto autoral]

Share

PLÁGIO

“Plágio é o ato de apropriar-se de trabalho, idéia ou projeto alheio.” (Dicionário da C.E.N)

“Plágio é o ato de assinar ou apresentar uma obra intelectual de qualquer natureza (texto, música, obra pictórica, fotografia, obra audiovisual, etc) contendo partes de uma obra que pertença a outra pessoa sem colocar os créditos para o autor original.” (Wikipédia)

Texto a seguir de autoria de Alberto Valença Lima.

Campanha contra blogueiros parasitas

Fui instigado por uma blogueira – Luma – que na verdade não sei, se é nome ou cognome, mas enfim, ela tem um blog – Luz da Luma, yes party – no qual eu me baseei para escrever este texto. Ela me instigou, num comentário que deixou em meu blog (link) para que eu também escrevesse sobre o assunto. Resolvi hoje fazê-lo.

Para iniciar quero definir o que seja PLÁGIO. Segundo o Dicionário Escolar da Língua Portuguesa da Companhia Editora Nacional, (2ª ed, SP, 2014), plágio “é o ato de apropriar-se de trabalho, idéia ou projeto alheio”, ou segundo o dicionário Michaellis citado pelo site Plágio Acadêmico (disponível em http://www.plagio.tccmonografiaseartigos.com.br/o-que-e-plagiohttp://www.plagio.tccmonografiaseartigos.com.br/o-que-e-plagio e consultado em 12/02/2018) “plagiar significa cometer furto literário, apresentando como sua uma ideia ou obra, literária ou científica, de outrem ou Usar obra de outrem como fonte sem mencioná-la.”

Notícia sobre o plágio

No ENEM do ano passado (2017) foi flagrado e detectado um plágio em uma das redações. O caso foi parar na Polícia Federal que o constatou. Mas o fraudador não sofreu nenhuma penalidade até agora. Passou no vestibular de Engenharia e já encontra-se cursando, numa Universidade particular de Salvador, o curso de Engenharia Civil. E o pior é que a pena para o crime não prevê a anulação de sua prova. Apenas poderá ser condenado ao pagamento de uma multa (provavelmente irrisória) e, poderá ser sentenciado a uma pena de 1 a 4 anos de reclusão, que no final, certamente será convertida em trabalhos comunitários e o criminoso ficará impune, e sairá ileso. (Matéria do site G1 Educação, disponível no link ).

Plágio é coisa para incompetentes, para pessoas desonestas, incapazes, desqualificadas, criminosas. É considerado crime pelo Código Penal Brasileiro e, quem pratica é, consequentemente, criminoso. O artigo 184 do citado Código Penal prevê que é crime de violação dos direitos autorais e estatui: Art. 184 – “Violar direitos de autor e os que lhe são conexos: Pena – detenção, de 3 (três) meses a 1 (um) ano, ou multa.”

Dificuldade de identificar ou provar a autoria

Na internet, detectar esta fraude é mais difícil pois não há como detectar a origem de um determinado texto. Alguém pode colhê-lo num blog qualquer e usar como sendo seu sem citar a origem. Depois, ficará difícil detectar quem é o verdadeiro autor. Salvo se este tiver tido o cuidado, de antes de publicar, registrar devidamente na Biblioteca Nacional, na Sessão de Direitos Autorais.

Eu mesmo já fui vítima de uma dessas fraudes e, não tive como me defender. Em determinado momento, tive o cuidado de copiar, frase por frase, parando o filme de Cartas para Julieta. Foi o texto da carta que ela envia para a personagem que vai em busca de seu amor do passado, Claire Smith (Vanessa Redgrave).

Este filme inclusive você pode encontrar uma resenha sobre ele que fiz aqui no blog Verdades de um Ser. (Basta clicar no link acima). Pois bem, tive o trabalho de copiar todo o texto da carta (que é bem longa) e colocar numa fotografia do filme utilizando o Power Point mas, não tive o cuidado de identificar a autoria. Deixei como anônimo. Mas é claro que se aquilo apareceu na internet, alguém teve o trabalho de fazer não é mesmo?

Um falsário descarado

Pois é. Fui eu quem tive este trabalho. E alguém “esperto” resolveu roubar o meu trabalho e apresentar como seu, inclusive colocando uma legenda do seu blog na foto. E o pior de tudo é que, depois de uma pane no meu computador, perdi o arquivo original onde tinha feito o trabalho, com o qual poderia provar, pela data de criação, que o trabalho era de minha autoria. E o pior de tudo. É que fui obrigado a usar o trabalho fraudulento desta pessoa, no meu próprio blog. Agora, sempre tenho o cuidado de colocar uma marca d’água nas minhas fotos e nos meus trabalhos de imagem. E os meus textos, sempre registro-os todos na Biblioteca Nacional para garantir a sua proteção.

Plágios involuntários

Mas eu próprio já pratiquei, involuntariamente, o plágio. Como? Bem, qualquer blogueiro precisa de fotos para ilustrar suas postagens não é mesmo? E onde buscar essas fotos? Na internet, especialmente no Google. Acontece que, a maioria delas, não tem autoria. E se você for perder tempo procurando de quem é aquela foto, você não faz mais nada na vida. Pego então, frequentemente, fotos de “autores desconhecidos” e coloco-as no meu blog. Cometo um erro que passei a me precaver mais. Deveria anotar que aquelas fotos foram tiradas do Google ou do site A ou B e colocar o endereço. Essa seria a atitude mais acertada e, tenho procurado me lembrar disso quando faço minhas postagens no blog.

Já no outro blog que alimento – O seu companheiro de viagem – todas as fotos lá são de minha autoria ou de autoria de alguém conhecido a quem peço licença para publicar e menciono o fato lá no blog.

Então, se você tira uma imagem de um blog, sabendo que ela é de autoria do autor do blog, como menciona Luma, lá no blog dela no artigo citado, aí você está sendo desonesto, e pode, sem medo, ser chamado de LADRÃO.

Imagens expostas sem autoria

Mas, muitas vezes, como já disse que ocorre comigo quase sempre, você encontra aquela imagem no Google, em fotos avulsas e misturadas com dezenas de outras, e sem nenhuma identificação de seu autor ou da fonte de onde foi tirada aquela foto. E outras tantas, a foto até tem a origem de sua fonte mas, ao você verifica-la, chega à triste constatação de que ela já foi fraudada ou pseudofraudada por alguém. E então, é claro que você não vai citar aquela origem.

E pode ter certeza. Se você se arvorar a sair investigando, dificilmente você descobrirá a fonte original. Então, apesar de ser errado, eu próprio já fiz isso várias vezes. Embora, como afirmei, estou mais cuidadoso a partir da leitura do artigo de Luma em seu blog “Luz de Luma, yes party!”.

Apesar de algumas lacunas no artigo da Luma, ela faz alguns alertas muito pertinentes e importantes. O cheiro de lixo a que ela se refere ao mencionar alguns blogs que lê encontrando pelo caminho é notório. Creio até que uma percentagem bem significativa, tipo 70 ou 80% dos blogues existentes, utilizam desse expediente de roubo de idéias, de roubo de conteúdos, de roubo de imagens. Isso é lamentável e, mais lamentável ainda é o sucesso que alguns deles fazem. A ética, a decência, a correção, a retidão, foram pra o beleléu.

Importante

Uma coisa porém eu gostaria de chamar a atenção. Isso é importante. Acabo de descobrir, ao buscar imagens para ilustrar este artigo, que as pessoas associam plágio com CRTL+C com CRTL+V. Não é plágio se copiar textos de outras pessoas. O plágio consiste não em copiar e colar mas, em não citar  a fonte. Desde que não haja proibição do autor, você pode copiar e colar qualquer texto que encontrar, desde que cite a fonte, a origem do texto.

Claro que é sempre melhor produzir seus próprios textos. A originalidade é muito importante e, inclusive, é uma forma de se projetar pois os mecanismos de busca valorizam esta originalidade.

Valorização de quem é original e de quem age corretamente

Valorizar pessoas, blogueiros, que apresentam idéias novas, enfoques novos, ângulos diferentes e originais ou conteúdos absolutamente cheios de novidades, isso é raro acontecer. A própria mídia não valoriza o original. Está acostumada a reproduzir colagens.

Estou um pouco desacreditado na blogosfera. Estou percebendo que o meu blog não tem mais sido prestigiado em termos de comentários por exemplo. Embora continue com um tráfego muito intenso, ou pelo menos razoável, os comentários que nele são deixados são raríssimos.

Tinha algumas pessoas amigas cujos blogues eu frequentava e comentava. De repente, sem nenhum motivo aparente, essas pessoas desapareceram nos comentários. Embora continuem seguindo meu blog. Cheguei até a fazer um teste deixando nos seus blogues comentários mesmo após longo silêncio. O resultado foi que, nenhuma delas, sequer retribuiu ou agradeceu o comentário.

E eu tenho certeza que ofereço um conteúdo de qualidade no meu blog. O Verdades de um Ser, além de oferecer textos autorais, oferece ainda resenhas sobre filmes, resenhas sobre livros (embora este esteja mais escasso ultimamente) e comentários sobre músicas e músicos. Além de oferecer também, junto com algumas resenhas de filmes, o filme para o visitante assistir a ele como um filme online, isto é, em tempo real pelo computador. Não existe propaganda no meu blog, não existe ofensas ou temas que desencadeiem grandes polêmicas, com raras exceções.

Concluindo

Bem, para finalizar, quero fazer um elogio. A luta que esta moça – Luma – que nem conheço, nem sei de onde é, está empreendendo em seu blog é realmente louvável. E por sua grandeza e importância, estou também abraçando. Há algumas semanas (02/01/2018), logo após ter lido sua postagem, inseri no meu blog a imagem da campanha e o link para o blog dela.

Este selo ao lado, deve ser incorporado pelos blogues que vierem a aderir a esta campanha. E colocar um link para o blog da Luma ou para esta postagem ou para a postagem original que desencadeou tudo isto. A do blog

Hoje me aventuro um pouco mais longe. Resolvi aceitar a sugestão desta moça para também me engajar nesta campanha contra os chupadores de conteúdo, os parasitas da internet escrevendo esta postagem.

Que tal aderir também a esta campanha? Combata o plágio. Discrimine quem o pratica. Seja legal. Deixe seus comentários e opiniões a respeito deste tema aqui abordado.

Share

Nomes próprios na minha família

Share

Este post foi inspirado em uma postagem do blog de poesias da poetisa Lilian Fátima Vargas do Recanto das Letras. Conta sobre a história ou as razões para escolha dos nomes próprios dos meus irmãos e eu por meus pais.

Nomes

Os nomes são atributos dados às coisas e às pessoas para caracterizá-las. Os nomes são substantivos e podem ser próprios ou comuns. No Direito Positivo, os nomes próprios são atributos da pessoa e é, um de seus bens mais preciosos.

Nomes próprios

Num passado até certo ponto recente, as famílias nomeavam seus filhos com nomes de antepassados. Era comum também, usar-se o mesmo costume com os nomes de monarcas como Pedro I, Pedro II, Henrique VI, Henrique VII, Henrique VIII, etc. Havia também um costume muito comum de colocar nomes de celebridades ou de pessoas da mídia como Ângela Maria, Dolores (Dolores Duran), Amélia (Música de Mário Lago), ou nomes bíblicos como Davi, Salomão, Matheus, João, Ester, Eunice, Eva.

Outro costume comum era a escolha de uma letra para inicial dos nomes dos filhos. Isso quando não acontecia as famosas aberrações de se escolher nomes como Alcachofra, Ácido Acetil Salicílico, Esparadrapo Clemente de Sá, Espere em Deus, Jaspion Brasileiro, Inocêncio Coitadinho, etc.

Também houve a fase em que se escolheu muito os nomes de pessoas do exterior como Washington, Madona, John Wayne, Sophia Loren, etc.

Fonte de inspiração

Este texto surgiu como inspiração a partir de outro que li no blog de poesias  Palavras notas e vivências da Lilian, poetisa do Recanto das Letras. Resolvi então falar também da história dos nomes próprios da minha família.

História de alguns nomes próprios na família

Era costume realmente, como fala a Lilian no seu texto acima mencionado, no século passado, se escolher os nomes elegendo uma determinada letra e aí, todos teriam então a mesma letra iniciais em seus nomes. É muito comum hoje em dia, encontrarmos irmãos que tem seus nomes iniciados todos com a mesma letra.

Por exemplo: Nas famílias de meus tios por parte de mãe, vários adotaram este costume. As filhas de um tio chamavam-se Nilma e Nilse. De um outro tio, os filhos ficaram com a mesma letra inicial do pai que se chamava João – Jomar, Jason, Jamerson e Joyce. Já uma outra tia escolheu o R – Reinaldo, Flávio, Rubens e , Ana. Estranharam? Fácil. Só o mais velho e o mais novo ficaram presos ao costume. Os outros dois fugiram à regra. (Risos…)

Já um outro tio escolheu para os nomes das filhas a mesma letra inicial do nome da esposa, Martha. Inclusive também o mesmo nome. Então ficaram Martha Lúcia e Mônica.

História dos nomes próprios da minha família

Na minha família, o meu pai e minha mãe, escolheram para mim o mesmo nome do meu tio que havia falecido quase exatamente um ano antes de eu nascer. Ele faleceu em 30 de janeiro e eu nasci, no ano seguinte, em 29 de janeiro. Creio que na época, eles não pensavam em fazer o que fizeram depois.

Ao nascer o meu irmão, escolheram o nome de Alexandre. Talvez ainda aí não houvesse o desejo de colocar todos com a mesma letra mas, por coincidência, os dois nomes começam com a letra A.

Nasceu depois uma menina. E meu pai era louco por Érico Veríssimo, sendo fã de carteirinha de um de seus mais famosos livros na época – Clarissa.

Um pequeno parêntesis

Carissa é a história de uma menina de 13 anos que se muda para a Porto Alegre, vinda de uma cidade do interior do Rio Grande do Sul. A menina, muito otimista, hospeda-se numa pensão da capital, onde irá, através dos outros personagens, também hóspedes da pensão, descobrir o que é o mundo.

Este livro é o primeiro romance do autor, e  fez muito sucesso na época. Ele era realmente maravilhoso.

Fechando o parêntesis

Pois bem, meu pai escolheu o nome da protagonista para nomear minha primeira irmã. Até então, nada para chamar a atenção. Veio então mais um irmão.  Foi quando a mania começou. Eles observaram que havia dois meninos com os nomes iniciados pela letra A e uma menina com o nome iniciado com a letra C.

O que eles fizeram? Exatamente o que vocês estão pensando:  escolheram para meu segundo irmão, um nome começado com a letra A. André, foi o nome escolhido. Então, minha família estava assim constituída: Meu pai que se chamava Antônio, eu (Alberto), meu irmão Alexandre, meu irmão, André e minha irmã, Clarissa. Homens com A, Mulheres com C. E minha mãe, que não tinha nada a ver com a história do Brasil, se chamava Maria Olívia, embora tenha sido ela a principal mentora de tudo isso.

Mas a história não para por aí. Até então, os homens predominavam absolutos. Mas veio mais uma irmã. E advinhem. Isso mesmo. Escolheram pra ela um nome que começava com C – Cláudia. Depois veio mais outra irmã e, é lógico que também escolheram um nome começado com C para ela. Foi Cristina.

Na ocasião, a família estava constituída por meu pai e minha mãe e 3 casais de filhos. Os homens todos com nomes iniciados pela letra A, e as mulheres todas (exceto minha mãe) com seus nomes iniciados pela letra C.

O desfecho da história

Vieram finalmente as pontas de rama como se fala. Os caçulas: um menino e uma menina. O menino se chamou Antônio, para ficar com o mesmo nome de meu pai, acrescentando-se o Júnior para diferenciá-los. E a derradeira foi uma menina. Esta iria causar uma grande reviravolta no costume até então adotado pelos meus pais. Meu pai queria que ela se chamasse Marília. Já pensaram que desastre?

Aí entra em cena o grande herói – EU. O salvador da pátria. Foi muita discussão. Não é possível que a gente tenha mantido esse costume por tanto tempo, somos 7 irmãos tendo os homens com nomes iniciados com A e as mulheres com os nomes iniciados com C e agora com a caçula, colocar o nome dela começado com M. É verdade que ficaria com a mesma inicial de minha mãe. Mas, ia quando crescesse se sentir rejeitada. Foi a ovelha negra da família. Olhe, foi muita discussão.

Eu havia assistido a um filme há pouco tempo, que tinha adorado. Sempre aos domingos. Um filme que inclusive foi disponibilizado aqui no blog Verdades de um Ser para você assistir a ele gratuitamente como filme online. (Clique no link acima) O nome do personagem principal deste filme era Cybèle.

Aí comecei a formular minha argumentação. Não foi à toa que depois, embora que só após 3 outras graduações concluídas, eu cursei e concluí o curso de Direito. E exerci durante cerca de 10 anos a advocacia. Mas voltando aos meus argumentos. Eu percebi, que os nossos nomes não tinham apenas a mesma letra inicial. Eles eram também em ordem alfabética! Isso se deu de modo inteiramente aleatório e não intencional. Mas aconteceu.

Os homens eram: Alberto, Alexandre, André e Antônio (apenas os filhos)

Alb, Ale, And e Ant.

E as mulheres eram; Clarissa, Cláudia e Cristina.

Clar, Clau e Cri.

E o nome Cybele, além de manter a tradição, agregava também valor ao costume pois, iria manter a ordem alfabética dos nomes. E havia pouquíssimos nomes próprios femininos que poderiam conseguir esta façanha. Venceram então os meus argumentos e minha irmã caçula ficou sendo chamada de Cybèle, tal qual a menina do filme. Com acento grave no primeiro E e tudo.

Resumo

Então, ficou assim constituída a minha família:

Antônio e Maria Olívia (Meus pais)
Alberto Clarissa
Alexandre Cláudia
André Cristina
Antônio Cybele

Share

Amor em chamas – Robert Greenwald [Filme]

Share

Direção – Robert Greenwald

Robert Greenwald é um diretor norte-americano nascido em agosto de 1943, conta portanto com 74 anos atualmente. Dentre os seus filmes mais conhecidos, encontra-se Xanadu (1980). Seu trabalho é mais focado em documentários, tendo se destacado em filmes mostrando a guerra do Iraque e da eleição presidencial de George Bush em 2000 quando disputou com o candidato democrata Al Gore, vencendo por uma pequena margem de diferença de 0,5% dos votos, o que representava na época, pouco mais de meio milhão de votos.

Amor em chamas, Robert Greenwald

A história do filme

O filme narra em flashes, a história de um casal nova-iorquino que sofre com as inconstâncias e dificuldades de relacionamento. As idas e vindas do amor, brigas e reconciliações. Os dois não Continue lendo

Share

De volta para o futuro – Robert Zemekis [Filme online]

Share

Este é mais um filme online oferecido gratuitamente para você pelo Blog Verdades de um Ser. Desfrute o filme e ao terminar deixe seu comentário no blog. Isso ajudará outros visitantes e também orientará o dono do blog sobre a qualidade deste blog e dos filmes oferecidos.

Direção – Robert Zemekis

Robert Zemekis é um cineasta norte-americano que tem em sua carreira além da trilogia De volta para o futuro, dirigiu também o extraordinário Forrest Gump – o contador de histórias (1994), com o qual ganhou o Oscar de Melhor Diretor, que você pode ver online aqui no blog (clique no link), e Náufrago (2000), ambos com Tom Hanks. Também dirigiu Uma cilada para Roger Rabbit (1988) que conquistou quatro estatuetas da Academia. De volta para o futuro (1985) é mais um filme online oferecido a você para assistir a ele gratuitamente no Blog Verdades de um Ser.

Zemekis teve uma carreira bastante interessante. Ainda como estudante, segundo a Wikipédia ele conquistou um prêmio da Academia com o curta Field of Honor, com o qual ganhou o Student Academy Awards o que chamou a atenção de Spielberg que passou a ser seu mentor.

Ao realizar De volta para o futuro em 1985 e que, há quase 3 anos, completou 50 anos de seu lançamento, Zemekis tornou-se muito conhecido. O sucesso deste filme foi tão grande na Continue lendo

Share

Tecendo palavras – Poesia [Texto autoral]

Share

Texto autoral

Ontem (dia 26) compus mais uma poesia inspirado no meu grande amor, o amor de toda minha vida. A mulher a quem dedico todo o meu ser, todas as minhas verdades, todo o meu amor. Este texto autoral em forma de poesia livre e com rimas surgiu espontaneamente e é oferecido à musa inspiradora do poema.

Tecendo palavras

Criando canções na varanda,
pela noite a cantar, eu vou
e as palavras tecendo, estou
na rede, regendo vou, uma banda.

Banda imaginária que toca uma ciranda,
que todos animadamente dançam e rodam
batendo os pés em cadência cantando
e as palavras dos versos tecendo eu vou.

E a noite me leva nos braços do amor
que em carinhos e cuidados me faz cobertor
quando na cama chego e encontro uma flor
que de pele morena, se deita à espera do cantor.

Não mais consigo as palavras tecer
nesta canção que inacabada ficou
pois a flor que na cama me espera
é tudo que quero, é o meu grande amor.

Versos de Alberto Valença Lima
Em 2018, jan, 26 – 22h40

Share

Lisbela e o prisioneiro – Guel Arraes [Filme online]

Share

Sobre o filme

Lisbela e o prisioneiro é uma adaptação da peça teatral homônima de autoria de Osman Lins, lançada em 1963 pela Edição da Sociedade Brasileira de Autores Teatrais em tiragem limitada (Segundo o site Passei Web) e, em 1964 em forma de livro pela editora Scipioni, entretanto, Osman Lins já havia encenado esta peça em 1961 para que não pensem que ela foi criada como fruto da Revolução de 1964 (Segundo a Wikipédia). Somente quase 40 anos depois (2003),  ela veio a ser adaptada para o cinema.

Sobre a adaptação

A adaptação de Guel Arraes, Pedro Cardoso e Jorge Furtado, não respeita o texto original. Esta adaptação tem muitas coisas diferentes como por exemplo: no filme, Lisbela estava para casar com um cara rico e com jeito de carioca, enquanto que no livro ela iria casar com um advogado rico. No livro, a história se passa em grande parte numa prisão enquanto no filme isto quase Continue lendo

Share

O nosso dia-a-dia – Poesia [Texto autoral]

Share

Poesia (texto autoral)

Esta poesia, composta por Alberto Valença Lima, é dedicada a uma pessoa muito especial na minha vida. Pessoa muito cara há um longo tempo. Ela é dedicada a você, meu amor. Noiva de quase um ano, amor de uma eternidade que já dura quase 50 anos.

O nosso dia-a-dia

Versos de Alberto Valença Lima
em 2018, janeiro, 14, às 12 h.

Embalado nas tuas juras de amor,
sigo feliz pelo dia inteiro a sorrir.
Minhas juras também te deixam abrir
um sorriso de flor do teu desejo interior.

Nada detém nosso amor a crescer,
e devagar construímos nossos sonhos,
que no passado distante foram cortados
em pedacinhos que, aos poucos juntamos.

Mas não são cacos, esses sonhos impedidos
por quem não compreendeu toda grandeza
de um amor que na juventude surgiu,
numa festa de 15 anos em meus braços dançando.

Aquela menina de longos cabelos negros cheirosa,
de branco vestido, em bordados teu belo corpo enfeitava.
Mas em passos de valsa, samba e foxtrote, bolero e forró,
deslizava naquele salão de luzes e cores que a música entoava.

Temos algo em nossos corações a cantar,
com alegria e muito desejo de em breve casar.
Nossos dias serão, com certeza, cheios de vida,
E muita felicidade, amor, respeito e cumplicidade.

Share

Hoje é sexta e é dia de filme online

Share

Delicadeza do amor [Filme online]

Hoje é sexta-feira, então, hoje é dia de filme online. O filme escolhido para esta sexta é um delicioso romance contado com uma simplicidade e delicadeza ímpares. Este filme já foi publicado aqui no blog mas, estou modificando a postagem para incluir na mesma o filme para você assistir a ele online aqui no blog Verdades de um Ser gratuitamente.

Os filmes online são vistos pela internet como os filmes do Youtube. Como todos os filmes aqui disponibilizados estão hospedados no site do VK, é necessário para assistir a algum desses filmes, estar inscrito lá, isto é, é necessário, ter uma conta no VK. Para se inscrever é muito simples. Basta clicar no link abaixo, e seguir as instruções que vão aparecer.

Inscrever-se no VK

Depois de inscrito no VK você pode assistir a qualquer dos filmes disponibilizados aqui no blog Verdades de um Ser. Para encontrar os títulos dos filmes já disponibilizados, basta procurar no índice do menu acima na aba “Mais verdades“, e em seguida, clique em Continue lendo

Share

Um novo filme online para você

Share

Sexo sem compromisso [Filme online]

Sexta-feira, é dia de filme online aqui no blog Verdades de um Ser. Na sexta-feira passada não pude publicar isto aqui, então, estou publicando hoje com algum atraso. Este filme já foi publicado antes aqui no blog. Em junho de 2015 mas o post sofreu modificações com a inclusão do filme online para você assistir a ele aqui no blog gratuitamente.

Esta postagem é apenas para noticiar que o post mencionado contem agora o filme online para você assistir a ele. Então, clique no título do filme lá embaixo e acesse o filme.

Instrução adicional

Para assistir aos filmes deste blog você deverá estar inscrita(o) no Vk, site onde estão hospedados todos os filmes que aqui são disponibilizados. Após o registro no Vk , que você só precisa fazer uma vez, sempre que você for assistir a algum filme deverá primeiro fazer o login com seu email ou telefone registrado e a senha usada no registro. Para se registrar ou fazer login, acesse o link ao lado. Registro no Vk.

Para assistir ao filme abaixo, após ter feito o login no Vk, você deve clicar na setinha para direita. e logo em seguida clicar em pausar. Espere para carregar o filme aguardando algum Continue lendo

Share

Participação em uma nova antologia

Share

Publicação de Antologia

Hoje recebi dois exemplares de uma publicação da qual participei com um dos meus poemas selecionados pela Câmara Brasileira de Jovens Escritores (CBJE). Esta edição foi de setembro mas só hoje a recebi por problemas na edição e envio da mesma. Mas trata-se da publicação de antologia cujo título é Os mais belos poemas de amor, e cuja capa encontra-se abaixo, juntamente com a medalha que recebi por ter sido selecionado.

Junto com o livro veio também um diploma e uma medalha, que reproduzo abaixo. E também a Continue lendo

Share